31 de julho de 2010

Nostalgia e saudades...

Hoje parei pra pensar em várias coisas que nos dias normais a gnt não pensa, comecei a ver fotos antigas e achei essa...

Essa menina descabelada de vestidinho amarelo sou EUUUU, com 1 aninho e essa do meu lado direiro com a blusa florida é a minha avó. Vovó de coração, isso pq minha mãe foi adotada antes de completar 1 ano pelo pai dela, mas infelizmente a esposa dele morreu depois de 1 ano da adoção e ele morreu qdo minha mãe tinha 13 anos, então quem criou minha mãe foi essa minha avó da foto e sua irmã, minha outra avó que faleceu em 2006 ( tive 2 avós por parte de mãe), e essa da foto, que me perdoem as outra (pq tem a paterna tb) foi a melhor avó do mundo, não tenho o que dizer dessa mulher maravilhosa, que me deu carinho, amor, que em todas as horas, tristes e felizes foi quem me apoiou me ajudou, sonhou junto comigo, e tadinha sofreu muito, não merecia tudo o que aconteceu a ela.... ela foi a primeira a conhecer meu marido, eu falei pra ela que se ela gostasse, eu casava com ele, e ela gostou de cara dele... isso eu tinha 20 anos, foi em janeiro de 2000... em março de 2000 apresentei ele aos meus pais, e disse que era com ele que eu casaria... dito e feito...

Bem, acontece que até os meus 24 anos quem sempre fez meus bolos de aniversário foi ela, era uma cozinheira profissional de mão cheia, e meus bolos sempre foram de chocolate com brigadeiro, ela fazia questão de fazer não só pro meu aniversário mais sempre que eu aparecia, depois que mudei pra SP toda vez que ia no Rio e chegava na casa dela tinha bolo pra mim, eu adorava, uma vez ela tentou me enganar e fez bolo de caixa, eu na hora falei que não era o bolo dela.... e infelizmente ela faleceu esse ano no dia 24/ 03.... ficou internada de novembro até a data de sua morte, no fim do ano passei bastante tempo com ela, e em janeiro fui trabalhar no Rio e quando dava ia no hospital ficar com ela, e lembro que da última vez que a vi, ela falou:

- Será que esse ano consigo fazer seu bolo em SP???

Vcs não imaginam como eu a amo e sinto sua falta, o pior é que eu respondi que não queria o bolo, pq ela era diabética e o médico a proibiu de comer doces, e sempre que fazia bolos ela morria de vontade de comer.... e comia, ela adorava doces, minha mãe brigava com ela, e por isso eu nunca mais fiz questão de que ela fizesse, além da diabete, ela fazia hemodiálise, era bem debilitada... precisava de ajuda pra muita coisa... morreu falando com a mulher do meu primo no telefone, teve um ataque cardíaco e estava sozinha, o dia que ela morreu foi o pior da minha vida, pq na correria que vivo, ficava ensaiando ligar pra ela, nesse dia tentei e deu ocupado... pelo horario ela tinha morrido e deixou o telefone cair... foi meu avô que a encontrou qdo voltou do almoço....

.

Bem não tem como não lembrar dela agora que meu aniversário tá chegando, fica a saudade desse amorzinho de mulher! Ela não teve filhas genéticas, só filhos, nisso muito das coisas dela foram pra minha mãe, e em consequencia pra mim, uma das alianças dela eu uso agora, pra me lembrar sempre dela, e todo dia lembro e me pego acariciando a aliança...


Te amo vó, enquanto viver não vou te esquecer!!!! Como falei no velório dela, agradeço a Deus por tê-la colocado em nossas vidas, por ter criado minha mãe, quem sabe o que teria acontecido à ela se pessoas boas não a tivessem adotado, por ter cuidado de mim, que nem neta de verdade era, mas fez mais do que qq outra avó de verdade faria... te encontro no céu!!!


Desculpem tanto informação triste...

4 comentários:

Ariadne disse...

Olá, vi que vc começoua seguir meu blog e vim conhecer o seu ! E fiquei emocionada com o post sobre sus avó... e sei como é triste perder alguem que amamos ! perdi meu pai há 9 anos e ainda parece que foi ontem...
Sou paulista casada com carioca ! mas foi ele quem largou tudo e veio morar em SP...
Tenho dois filhos misturados, meio caiorca meio paulista !
Espero continuar recebendo suas visitas e sermos amigas !
TBem luto com a balança...

Bjks e obrigada pela visita !!

Minha fábrica de sonhos... disse...

Ingrid,
muito bonita tua história, com certeza, me emocionei e a foto que mais gostei foi a dela mostrando um papel ou um cartão e rindo, show de foto.
Eu tive duas avós "normais", mãe do pai e mãe da mãe. Uma faleceu quando eu tinha quatro aninhos e a outra eu tinha doze nos, mas infelizmente não posso dizer que marcaram minha vida. Você teve sorte, hein?
Deus abençõe tua avó e você e sua família. Eu, com certeza, serei uma avó como essa sua avó, pois essa são as avós de verdade.
Beijão.
Nara.

Nine Ferreti disse...

Oie amiga!

Lamento muito tua perda, principalmente por sentir que a ligação entre vocês era realmente super forte. Mas fico muito feliz por saber que tu tiveste essa pessoa maravilhosa na tua vida. Com certeza parte da tua personalidade foi ela quem te ajudou a formar e seus ensinamentos vão ser úteis por toda vida.

A falta física é uma dor irremediável. O tempo alivia, mas não passa nunca. O jeito é lembrar dos momentos bons e levar a vida da forma que mais orgulharia aqueles que já não estão conosco.

Com certeza ela está te olhando lá de cima e te iluminando na caminhada aqui em baixo.

Bjka e ótima semana!

maria/andrea disse...

Oi!!
Vim conhecer, mas ainda não li tudo.
Te coloquei no blog para acompanhar.
Então vc é uma carioca que virou paulista?? Legal. Gosto de cariocas e adoro o sotaque. Tenho amigos no Rio.
Então, esse seu último post me lembrou algo que aconteceu essa semana comigo... a saudade.
Deitei e estava sem sono, dai lembrei do meu pai. São 10 anos de ausência, mas é incrível como a saudade é grande.
Dormi chorando quietinha.
Lembre sempre dos bons momentos que passou com sua avó e pela história, foi uma grande mulher.
Quando a saudade bater, ore por ela.
Estarei te acompanhando. Boa sorte aí na sua RA.
BEIJO.